Noticias

PARÁ YXAPY

25/09/2021

Também conhecida como Patrícia Ferreira, nasceu em 1985 e reside na Aldeia Guarani Tekoá Ko’enju, São Miguel das Missões - RS. Atualmente está finalizando seu primeiro longa autoral e circula em festivais de cinema com o filme TEKO HAXY – ser imperfeita, codirigido com Sophia Pinheiro. Dentre as premiações de seus trabalhos destacam-se os prêmios: Menção Honrosa – XIV FICA (2012) pelo filme Desterro Guarani, o Prêmio Cora Coralina de melhor longa no XIII FICA (2011), o Prêmio Melhor longa/média do III CachoeiraDoc e Menção Honrosa mostra Competitiva Nacional do forumdoc.bh.2011 pelo filme As Bicicletas de Nhanderu; Em 2015 o Prêmio Melhor curta Júri Oficial e menção honrosa Júri Jovem do VI CachoeiraDoc pelo filme No caminho com Mário.

Em 2014 e 2015, participou de residências artísticas com os cineastas indígenas Innu, no Canadá, em 2017 foi juri do festival de CINE KURUMIN, em 2019 participou como convidada da mostra Performances Ameríndias do Doclisboa (Lisboa), esteve em Nova York para o Margareth Mead Film Festival , participou do debate "as mulheres indigenas e o cinema "durantea 14 CINE OP mostra de cinema OURO PRETO em 2019 e participou como artista da 21ª Bienal de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil. Em 2020, apresentou sua primeira exposição individual na Berlinale, dentro da mostra do programa Forum Expanded. Já realizou os filmes: As Bicicletas de Nhanderu, 2011/45min; Desterro Guarani, 2011/38min; TAVA, a Casa de Pedra, 2012/78min e No caminho com Mario, 2014/20min.

Mais informações: https://www.itaucultural.org.br/patricia-ferreira-culturas-indigenas